Patogenicidade e virulência de nematoides entomopatogênicos (Rhabditida: Steinernematidae; Heterorhabditidae) a Bradysia ocellaris (Diptera: Sciaridae)

Adriane da Fonseca Duarte, Andressa Lima de Brida, Juliano Lessa Pinto Duarte, Maguintontz Cedney Jean Baptiste, Flavio Roberto Mello Garcia, Uemerson Silva da Cunha

Resumo


Populações de Bradysia ocellaris (Sciaridae) podem causar prejuízos diretos, através da alimentação das larvas, ou indiretos através da disseminação de fungos patogênicos em viveiros e na produção hidropônica de olerícolas. Tendo em vista que os substratos onde as larvas da mosca se desenvolvem são bastante úmidos, o que favorece também o desenvolvimento e a manutenção de nematoides, conferindo assim o uso de nematoides entomopatogênicos como uma alternativa promissora para controlar a praga. Dessa forma, o presente trabalho objetivou avaliar a patogenicidade e virulência de Heterorhabditis bacteriophora (HB) e Steinernema brazilense CB06 a larvas de B. ocellaris. O experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualizado, com três tratamentos e dez repetições. Cada parcela foi constituída por placa de Petri (5 cm) revestida com duas folhas de papel filtro. Os juvenis infectantes (JIs) dos isolados foram inoculados no volume de 1 mL na concentração de 100 JIs mL-1. O tratamento testemunha foi constituído de 1 mL de água destilada. Após a inoculação, foram liberadas dez larvas de 4º instar de B. ocellaris. Posteriormente as placas de Petri foram vedadas e armazenadas em BOD a 25±1 ºC, 70±10% UR e fotoperíodo de 12 horas. As avaliações foram realizadas cinco dias após a inoculação das larvas, quando o tratamento testemunha atingiu a emergência de 80% dos adultos. As larvas mortas foram dissecadas, e os JIs no interior do cadáver foram quantificados. S. brazilenze CB06 e H. bacteriophora HB causaram 60 e 44% de mortalidade das larvas, e virulência de 18,6 e 2,07 JIs larva-1, respectivamente. S. brazilenze CB06 apresentou maior taxa de patogenicidade e virulência as larvas de B. ocellaris. Contudo mais trabalhos são necessários, principalmente para avaliar a melhor dose de juvenis infectantes necessárias para um controle eficiente desta praga.


Palavras-chave


Heterorhabditis bacteriophora, Steinernema brazilense, fungus gnats, controle biológico, NEPs.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.