Atividade antifúngica de extratos vegetais sobre o crescimento micelial de Moniliophthora perniciosa

Adriele Santos da Silva, Isabela Pereira de Souza Schoaba, Josiele Fernandes Siqueira Lemgruber, Micaely Cristina de Oliveira Reis, Luciano dos Reis Venturoso, Lenita Aparecida Conus Venturoso

Resumo


As plantas medicinais possuem potencial para serem utilizadas como fonte de princípios ativos contra fitopatógenos, devido à quantidade e variedade de metabólitos secundários em sua composição, potencializando os recursos como alternativa no controle de doenças, como a vassoura-de-bruxa. O trabalho teve por objetivo avaliar a atividade antifúngica de extratos aquosos sobre o crescimento micelial de Moniliophthora perniciosa. Adotou-se o delineamento inteiramente casualizado, com 22 tratamentos e 5 repetições. Os tratamentos foram compostos pelos extratos de alecrim, alho filtrado, alho autoclavado, arnica, arranha-gato, arruda, barbatimão, boldo, calêndula, carqueja, cravo da índia, erva cidreira, erva de Santa Maria, eucalipto, fedegoso, fumo, hortelã, macaé, melão de São Caetano, poejo, tansagem e um tratamento controle. Os extratos foram obtidos a partir da trituração de 20 g do material vegetal em 100 mL de água destilada. O material foi filtrado, e o extrato obtido, autoclavado a 120ºC por 20 minutos. Utilizou-se um tratamento com alho apenas filtrado. A atividade antifúngica foi mensurada pelo crescimento micelial do patógeno, em intervalo de dois dias, perdurando até o momento em que a colônia atingisse 3/4 da superfície do meio de cultura. Verificou-se que os extratos de cravo da índia, alho filtrado, barbatimão e arranha-gato apresentaram controle total sobre o crescimento do patógeno. Ressalta-se que o extrato de erva de Santa Maria inibiu o crescimento micelial do fungo em 90,4% não diferindo estatisticamente daqueles que inibiram totalmente o crescimento fúngico. Os extratos de eucalipto, alho autoclavado e alecrim, apresentaram inibição, de 64,1; 42,2 e 41,9% respectivamente. Conclui-se que os extratos vegetais de cravo da índia, alho quando filtrado, barbatimão, arranha-gato e erva de Santa Maria são efetivos no controle in vitro de M. perniciosa.


Palavras-chave


vassoura-de-bruxa, controle alternativo, metabólitos secundários.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.