Viabilidade de tubérculos de Cyperus rotundus L. após a aplicação de herbicidas em pré e pós-emergência

Ana Ligia Giraldeli, Ana Carolina Dezuó Correr Schiavuzzo, Felipe Carrara de Brito, Beatriz Sizilio dos Santos, Diogo Alexandre Góes de Oliveira, Ricardo Victoria Filho

Resumo


O manejo químico é o mais adotado para o controle de plantas daninhas na cultura da cana-de-açúcar. Entre as espécies de difícil controle está a tiririca. Os herbicidas utilizados precisam ser absorvidos e translocados em quantidades suficientes para a cadeia de tubérculos para serem eficazes. Assim, objetivou-se com este estudo avaliar a eficácia de herbicidas no controle de Cyperus rotundus L. e a viabilidade de tubérculos. O experimento foi realizado em casa de vegetação, em delineamento inteiramente casualizado, com nove tratamentos e quatro repetições. Os herbicidas sulfentrazone (800 g ia ha-1), diclosulam (193,17 g ia ha-1), imazapic (133 g ia ha-1) e imazapyr (500 g ea ha-1) foram aplicados cinco dias após o plantio dos tubérculos em pré-emergência, enquanto que o halosulfuron (112,5 g ia ha-1), ethoxysulfuron (135 g ia ha-1), MSMA (1.975 g ia ha-1) e 2,4-D (1.340 g ea ha-1) foram aplicados em pós-emergência (4 a 5 folhas). Foram feitas avaliações visuais de controle, massa seca da parte aérea, número de tubérculos e bulbos, peso de tubérculos + bulbos, número de manifestações epígeas e viabilidade de tubérculos. Aos 90 dias após a aplicação os herbicidas diclosulam, halosulfuron e ethoxysulfuron propiciaram 100% de controle da parte aérea. Todos os herbicidas reduziram o número de bulbos, peso de tubérculos + bulbos e massa seca da parte aérea. O sulfentrazone, imazapic, halosulfuron, ethoxysulfuron e MSMA foram os tratamentos mais eficazes na redução da viabilidade dos tubérculos.


Palavras-chave


controle químico, Saccharum spp, tiririca.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.