Avaliação de resistência ao ácaro rajado em genótipos de morangueiro

Renato Barros de Lima Filho, Luana Karoline Ribeiro, Jessica Vanessa Wosniak, André Ricardo Zeist, Israel Felipe Lustosa da Silva, Juliano Tadeu Vilela de Resende

Resumo


O morangueiro (Fragaria x ananassa) é uma cultura que é sujeita a diversos problemas com pragas e doenças. O ácaro rajado, Tetranychus urticae Koch (Tetranychidae), é a principal praga do morangueiro, tanto em cultivo protegido como em campo. A principal forma de controle é feita com aplicação de acaricidas e em menor quantidade com uso de ácaros predadores. Outra forma de controle seria a utilização de plantas resistentes, mas atualmente não há materiais comerciais com essa característica. Desta forma o objetivo deste trabalho foi avaliação da oviposição e eclosão de ovos do ácaro rajado em diferentes genótipos de morangueiro. Os genótipos de morangueiro utilizados foram RVFS#07, RVDA#16 e RVCS#44, todos nacionais e selecionados a partir do cruzamento entre cultivares comerciais de morango. Para parâmetros de comparação foram utilizadas as cultivares comerciais Camarosa, Albion, Camino Real e Monterey. O experimento foi realizado em delineamento inteiramente casualizado, com 12 repetições. Foram utilizados discos foliares colocados em uma arena montada em placa de petri com esponja e algodão embebidos em água, sendo liberadas fêmeas de T. urticae com 15 dias em cada disco. Após 24 horas, as fêmeas foram retiradas e o número de ovos foi contado, sendo avaliada a porcentagem de eclosão com 96 h e 120 h. Na avaliação de oviposição é possível separar os tratamentos em dois grupos com diferença significativa, sendo RVFS#16, RVDA#44, Albion e Camino Real que apresentaram as menores médias para número de ovos. Não ocorreu diferença para a avaliação com 96 h para ovos eclodidos, observando apenas diferença na avaliação de 120 h, tendo destaque para a cultivar Camino Real (53,61%) e para o híbrido RVDA#16 (58,19%), com as menores porcentagens de eclosão de T. urticae, não diferindo somente de RVCS#44 (70,17%). Estes resultados mostram que é possível selecionar genótipos com características de resistência favoráveis em materiais de origem nacional, o que pode possibilitar um menor custo para obtenção de mudas pelo agricultor.

Palavras-chave


melhoramento, antibiose, Fragaria x ananassa.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.