Tolerância da vassourinha-de-botão ao glyphosate e alternativa de controle em pré-emergência

Mateus Augusto Dotta, Lucas da Silva Araújo, Davi Rosa Moreira de Freitas, Robson Josadaque Nogueira de Lima, Nicolas Augusto de Almeida Sauerwein, Ricardo Victoria Filho

Resumo


Em função das reclamações do setor produtivo sobre a dificuldade do controle químico de vassourinha-de-botão, foi realizado o presente trabalho que objetivou avaliar a tolerância de diferentes populações ao glyphosate, eficácia de seis formulações de glyphosate em dois estádios vegetativos das plantas, além do controle em pré-emergência. Três experimentos foram realizados em casa-de-vegetação na ESALQ/USP no delineamento experimental inteiramente casualizado com quatro repetições. No primeiro (esquema fatorial 12x10), a tolerância diferencial de doze populações de vassourinha-de-botão ao glyphosate foram estudadas usando a curva dose-resposta. As plantas foram pulverizadas com o herbicida (0,125; 0,25; 0,5; 1; 2; 4; 8; 16 e 32 kg ea ha-1) quando estavam com três pares de folhas. No segundo (esquema fatorial 6x2x2), a eficácia do glyphosate foi avaliada em diferentes formulações (sal de amônio, sal de diamônio, sal de potássico, sal de isopropilamina, sal de dimetilamina e sal de isopropilamina+sal de potássico), duas doses (1,5 e 2 kg e.a. ha-1) e dois estádios (2 a 4 e 8 a 10 nós vegetativos). No terceiro (esquema fatorial 16x2), dezesseis herbicidas foram aplicados em pré-emergência (saflufenacil, diclosulam, clorimuron, metribuzin, s-metolaclor, clomazone, sulfentrazona, flumioxazin, fomezafen, pendimetalin, imazetapyr, imazetapyr+flumioxazin, atrazina, atrazina+s-metolaclor, clomazone+ametrina e diuron) em duas populações de vassourinha-de-botão. Conclui-se que as populações de vassourinha-de-botão foram sucetíveis ao glyphosate, mas nas menores doses mostraram suscetibilidade diferencial. As diferentes formulações de glyphosate foram mais efetivas no menor estádio das plantas combinado a maior dose, com destaque às formulações sal de diamônio, isopropilamina e isopropilamina+sal de potássico. Em pré-emergência, os herbicidas foram eficazes no controle da vassourinha-de-botão, todavia as populações diferiram entre si para os herbicidas imazetapyr e clomazone.

Palavras-chave


controle químico, Spermacoce sp., tolerância.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.