Ocorrência de fitonematoides em híbridos de milho transgênico

Hellem Karoline Miranda, Gabriel Pessim, Marilia Gregolin Costa de Castro, Pedro Luiz Martins Soares

Resumo


Os nematoides parasitos de plantas têm causado danos elevados e crescentes em várias regiões do Brasil e em diversas culturas agrícolas, inclusive no milho, cultura largamente utilizada na safra, segunda safra e na rotação de culturas. Esta pesquisa foi realizada com o objetivo de quantificar e identificar os fitonematoides existentes em dois híbridos de milho transgênico no município de Colina-SP. A área total de nove hectares foi dividida em quatro subáreas de 2,25 ha, e em cada uma dessas o milho foi semeado entre ruas com plantas de café arábica consorciadas entre seringueiras RRIM600, plantadas em janeiro de 2017 e novembro de 2016, respectivamente. As cultivares de café foram Catucaí Amarelo 2SL, Topázio MG1190, Tupi IAC1669-33 e Bourbon Amarelo IACJ10. A primeira semeadura de milho, com o híbrido 2B587 PW, ocorreu em setembro de 2017, e a segunda, BM855 VTPRO2, em novembro de 2018, as duas com espaçamento de 0,80 m e população de 62.500 plantas por hectare. As coletas de amostras foram realizadas alguns dias antes da colheita, retirando-se oito amostras de solo e oito de raízes de milho em cada área, e em seguida foram levadas ao laboratório onde realizaram-se a extração, contagem e identificação dos nematoides. Verificou-se na primeira avaliação um total de 7.431 nematoides no solo e 10.524 nas raízes, sendo que o maior número encontrado tanto no solo como nas raízes foi na área de café Tupi, apresentando no solo 34,2% e nas raízes 31,7% do total. Já na segunda avaliação encontraram-se 27.910 nematoides no solo e 105.399 nas raízes, sendo maior na área de café Topázio, com 34,7% e 45,2% do total, no solo e raízes respectivamente. O gênero de maior ocorrência na primeira avaliação foi Pratylenchus, com 74,3% nas análises de solo e 94,8% nas de raízes. Entretanto, na segunda o mais encontrado no solo foi o Helicotylenchus, com 52,0%, e nas raízes o Pratylenchus, com 96,5% do total. Em vista dos resultados obtidos, nota-se que o crescimento na população de nematoides apresentou um grande salto da primeira para a segunda safra de milho, sendo Pratylenchus spp. o mais problemático.


Palavras-chave


Zea mays, Pratylenchus spp., nematoide das lesões radiculares, Helicotylenchus spp., nematoides.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.