Análise entre os diferentes levantamentos efetuados pela CIDASC, para o monitoramento da praga Mycosphaerella fijiensis Morelet no Estado de Santa Catarina

Fabiana Alexandre Branco, Fabiane dos Santos, Júlio Vilperte, Daniel Remor Moritz, Marcelo Jacoby, Marcelo de Tofol

Resumo


A sigatoka-negra, causada pelo fungo Mycosphaerella fijiensis Morelet, é considerada a doença foliar mais destrutiva e de maior valor econômico nos cultivos de banana. A Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina - CIDASC, através do Departamento de Defesa Sanitária Vegetal, é responsável pelas ações da defesa fitossanitária no Estado. Os levantamentos de verificação da praga sigatoka-negra foram realizados nos seguintes municípios: Araquari, Criciúma, Garuva, Guaramirim, Joinville, São João do Itaperiú, Schroeder, Corupá, Jaraguá do Sul, Ilhota, Massaranduba, Balneário Piçarras, Navegantes, Tijucas, Barra Velha, Sombrio, Luís Alves, Jacinto Machado, Praia Grande, Rio dos Cedros, Santa Rosa do Sul e Siderópolis, em bananais comerciais, beira de estradas e terrenos abandonados. O método de diagnose utilizado pelos laboratórios foi a sintomatologia, sinais e morfologia. Foram coletadas 111 amostras de folhas de bananeira com sintomas, sendo que em 73% das amostras coletadas em todo o Estado foi diagnosticada a presença da sigatoka-negra. Nas amostras coletadas na região Sul do Estado, em apenas 14% foi identificado o fungo. Comparando os dados obtidos nos anos de 2013, 2015, 2016, 2017 e 2018, observou-se que a partir de 2015 as amostras coletadas com a presença de M. fijensis foram sempre superiores àquelas com ausência da praga. Essa inversão de proporção pode ter ocorrido pela mudança do método amostral, pois a partir de 2015 as Unidades de Produção em que foram realizadas coletas eram previamente sorteadas, em contrapartida no ano de 2013 se buscava aleatoriamente as plantas. Por meio do teste de Qui-quadrado foi observado que não há diferença (α = 0,05) entre os diferentes anos que foram efetuados os levantamentos. O método de amostragem por sorteio foi mais eficiente na detecção dos sintomas, sendo essencial a intensificação na fiscalização das diretrizes que compõem o Sistema de Mitigação de Risco (SMR).


Palavras-chave


amostras, defesa sanitária vegetal, folha de bananeira, fungo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.