Controle químico de eudicotiledôneas tolerantes a glyphosate

Eduardo Roncatto, Arthur Arrobas Martins Barroso

Resumo


Plantas daninhas são responsáveis por perdas de produtividade de culturas quando acima dos níveis críticos de dano. O método de controle destas plantas atualmente é quase exclusivamente feito pelo uso de herbicidas, entre eles o glyphosate. Com a facilidade de uso promovida pelos agrotóxicos, plantas daninhas resistentes e tolerantes vêm sendo selecionadas. Sabendo que o cultivo de plantas com tolerância ao 2,4-D será crescente assim como a necessidade de informações sobre eficiência de controle do herbicida mediante espécies problemáticas, o presente trabalho teve por objetivo avaliar a eficácia e praticabilidade agronômica da aplicação dos herbicidas 2,4-D nas doses de 806 e 1.209 g. e.a. ha-1, glyphosate nas doses de 720 e 1.440 g.e.a. ha-1, amônio-glufosinato nas doses de 300 e 500 g.e.a. ha-1 e a mistura formulada de 2,4-D + glyphosate nas doses de 428 + 389 e 857 + 778 g.e.a. ha-1 mais uma testemunha sem aplicação, no controle do leiteiro (Euphorbia heterophylla), corda-de-viola (Ipomoea hederifolia), poaia-branca (Richardia brasilensis) e buva (Conyza canadensis). O experimento foi realizado em casa de vegetação, sob condições semicontroladas na Universidade Federal do Paraná, Setor de Ciências Agrárias, Departamento de Fitotecnia e Fitossanitarismo, em Curitiba - PR. As pulverizações foram realizadas quando as plantas apresentarem de quatro a seis folhas totalmente expandidas, com aplicador costal mantido a pressão constante utilizando-se CO2 (3 kPa) com barra de pulverização de um metro e dois bicos espaçados em 0,5 m, com pontas do tipo leque jato plano, modelo TeeJet AIXR110015, reguladas a distribuir volume de calda de 200 L ha-1. Aos 7, 14 e 21 dias após a aplicação foram realizadas avaliações de eficácia de controle proporcionada pelos herbicidas através de escala visual de injúria das plantas que varia entre 0 e 100%. Os dados foram submetidos à análise de variância, que sendo significativa, e suas médias comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade utilizando-se o programa estatístico InfoStat (p<0,05). Aos 21 dias após a aplicação, todos os tratamentos foram eficientes no controle de corda de viola e buva (controles superiores a 80%). Para o controle de leiteiro os menores danos ocorreram com a utilização de 2,4-D em ambas as doses e glyphosate na dose de 720 g.e.a. ha-1. Para o controle de poaia foi observado controle acima de 80% com a utilização de glyphosate na dose de 1.440 g e.a ha-1, seguido de 2,4-D na dose de 1.209 g e.a ha-1, 2,4-D + glyphosate na dose 428 + 389 g.e.a. ha-1 e amônio-glufosinato em ambas as doses. Os resultados demonstram a importância da utilização de outros mecanismos de ação, nesse caso os inibidores da enzima glutamina sintetase.

Palavras-chave


amônio-glufosinato, 2,4-D, buva.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.