Associações de herbicidas no controle de capim-amargoso em soja no Paraguai

Felipe Eduardo Bauer, André Felipe Moreira Silva, Alfredo Junior Paiola Albrecht, Leandro Paiola Albrecht, Guilherme Thomazini, Maikon Tiago Yamada Danilussi

Resumo


O primeiro caso de resistência de Digitaria insularis (capim-amargoso) ao glyphosate foi registrado no Paraguai em 2005. No Brasil foi registrado em 2008, no estado do Paraná. Em 2016, na região Centro Oeste, foi registrada a resistência aos inibidores da ACCase fenoxaprop e haloxyfop. Objetivou-se avaliar a eficácia de herbicidas no controle do capim-amargoso aplicados em PRÉ-semeadura da soja, com aplicação sequencial em PÓS-emergência. O experimento foi conduzido na safra 2018/19 no distrito de Corpus Christ, Canindeyú, Paraguai. Foi utilizado delineamento de blocos casualizados, com quatro repetições. Os tratamentos foram compostos pela aplicação de glyphosate + haloxyfop ou clethodim, em associações com 2,4-D, triclopyr, dicamba, carfentrazone, saflufenacil ou chlorimuron, além da testemunha sem aplicação, totalizando-se 15 tratamentos. Para todos os tratamentos, exceção a testemunha, foi realizada aplicação sequencial de glyphosate + clethodim em PÓS na soja (V3-V4). Foi avaliado o controle dos 7 aos 35 dias após a aplicação em PRÉ e aos 7 e 14 dias após a aplicaçã em PÓS. Os dados foram submetidos à análise de variância e teste F, e as médias dos tratamentos foram agrupadas pelo teste Scott-Knott, a 5% de probabilidade. Aos 35 dias após a aplicação, em PRÉ, os maiores controles foram observados para a aplicação de glyphosate + haloxyfop e glyphosate + saflufenacil ou chlorimuron, independente do inibidor da ACCase utilizado, entretanto o valor máximo foi de 58,75%. Aos 14 dias após a aplicação, em PÓS, a aplicação de glyphosate + clethodim + chlorimuron não se manteve entre os melhores tratamentos. Nesta última avalição, somam-se os mais eficazes aos 35 dias após a aplicação em PRÉ e a aplicação de glyphosate + haloxyfop em associação com dicamba ou triclopyr, como os melhores tratamentos. Contudo o controle não ultrapassou 66%. As associações de herbicidas, aplicadas em PRÉ, com aplicação sequencial de glyphosate + clethodim em PÓS da soja, não foram eficazes, em níveis satisfatórios, no controle de capim-amargoso.


Palavras-chave


Digitaria insularis, Glycine max, plantas daninhas, glyphosate, inibidores da ACCase.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.