Ocorrência e níveis populacionais de Saccharicoccus sacchari (Cockerell, 1895) (Hemiptera: Pseudococcidae) em diferentes estádios fenológicos da cana-de-açúcar

Maiara Alexandre Cruz, Nilza Maria Martinelli, Ana Lúcia Benfatti Gonzalez Peronti, Jeferson dos Santos Silva, Camila Araújo Pinho

Resumo


Saccharicoccus sacchari (Cockerell, 1895) (Hemiptera: Pseudococcidae) é uma espécie amplamente difundida, conhecida principalmente por infestar Saccharum spp. (Poaceae). Este inseto forma colônias na região dos nós, sob a bainha das folhas da cana-de-açúcar e nas raízes e toletes de plantio. No entanto, informações sobre os níveis de infestação de S. sacchari nas diferentes fases de desenvolvimento da planta são desconhecidos. Neste sentido, objetivou-se quantificar nos estádios fenológicos a infestação por S. sacchari. O experimento foi conduzido entre agosto de 2018 e fevereiro de 2019, em um talhão de cana-de-açúcar, variedade CTC4, sob sistema orgânico, localizado no município de Jardinópolis-SP. Foram demarcadas em um hectare, 100 parcelas (10m x 10m). As avaliações de ocorrência e abundância da cochonilha foram realizadas mensalmente nas touceiras logo após a colheita, e nos diferentes estádios fenológicos da planta: brotação (30-60 dias), perfilhamento (60-90 dias) e crescimento vegetativo (180-210 dias), perfazendo oito inspeções, duas por estádio. A abundância da cochonilha nas plantas foi realizada visualmente e de forma casualizada em cada parcela. As avaliações consistiram de: (1) observação nas raízes de uma touceira; (2) observação em cinco brotações; (3) observação em cinco perfilhos e (4) observação de cinco colmos, todos oriundos de touceiras distintas. Para cada touceira/planta, foram observadas: a presença de cochonilhas nas raízes da touceira, na brotação e perfilhos, e internódios com cochonilha em relação ao número de internódios no colmo, no estádio fenológico de crescimento vegetativo. Nas avaliações constatou-se: infestação de 32% e 56% nas touceiras; ausência nas brotações; 8,2 e 15,6% nos perfilhos, e 15,0 e 20,43% nos colmos, em cada avaliação, respectivamente. Durante o crescimento vegetativo contabilizou-se a porcentagem de internódios infestados por parcela. A maior infestação foi de 49% e a menor de 11%. A infestação média na área foi de 17,71%. A maior infestação foi constatada nas touceiras, seguida do perfilho e colmos. A dispersão de S. sacchari para a parte aérea, nos internódios dos colmos, ocorre principalmente pela ação de formigas que se alimentam do honeydew eliminado pelas cochonilhas. Conhecer os níveis populacionais de S. sacchari nos diferentes estádios fenológicos da cana-de-açúcar torna-se imprescindível para que se possam elucidar os efeitos destes insetos às plantas, uma vez que, embora este pseudococcídeo seja uma espécie frequente nas áreas de cultivo, tem sido considerado uma praga secundária, provavelmente devido à falta de informações relacionadas às injúrias e os prejuízos causados pela infestação da cochonilha, principalmente as perdas de açúcares.


Palavras-chave


canavicultura, Coccoidea, infestação.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.