Efeito repelente de óleos essenciais sobre o comportamento de oviposição de Drosophila suzukii (Matsumura, 1931)

Jason Lee Furuie, Rubens Candido Zimmermann, Alessandra Benatto, Rayne Baena, Maria Aparecida Cassilha Zawadneak, Ida Chapaval Pimentel

Resumo


A drosófila-da-asa-manchada, Drosophila suzukii (Matsumura) (Diptera: Drosophilidae), é considerada praga potencial para diversas frutíferas, dentre elas o morangueiro (Fragaria x ananassa Duch.). Os danos causados decorrem tanto da inserção do ovipositor, que abre caminho para decompositores, como da alimentação das larvas no interior dos frutos. Por ser praga recém introduzida, inexistem registros de inseticidas para seu controle em morangueiro. Assim, a utilização de óleos essenciais (OE) surge como alternativa no manejo integrado dessa praga. Nesta pesquisa, objetivou-se avaliar o efeito repelente de OE no comportamento de oviposição de D. suzukii. Os adultos de D. suzukii (24h de idade) foram obtidos de criação do Laboratório de Entomologia Agrícola Prof. Angelo Moreira da Costa Lima-UFPR. Os tratamentos foram os óleos essenciais de Salvia officinalis, Melaleuca alternifolia e Cananga odorata nas concentrações de 5%, 3% e 1% diluídos em acetona, a qual foi utilizada também como controle. A repelência foi avaliada pelo método com chance de escolha. Para isso, foram confeccionadas gaiolas com três recipientes plásticos (145 mL), interligados de forma reta e equidistante por dois dutos de plástico transparente (2 cm x 0,5 cm). Em cada recipiente lateral foi colocado um fruto artificial (gelatina de morango, ágar e nipagin), em um lado pulverizado 1 mL de cada tratamento e no outro pulverizado 1 mL de acetona. Após a evaporação do solvente sob capela, dois casais de D. suzukii foram liberados no recipiente central. As gaiolas permaneceram em sala climatizada (25 ± 2 ºC, UR: 70 ± 10% e fotofase de 14 h) por 48 h e então os ovos foram contados. O delineamento foi inteiramente casualizado, com cinco repetições para cada tratamento. Os dados foram analisados pelo teste de Mann-whitney a 95%. O OE de M. alternifolia a 5% gerou 60% de repelência e de C.odorata na concentração de 3%, 57% de repelência. Conclui-se que há uma relação direta entre a concentração do OE e a repelência para postura por D. suzukii.

Palavras-chave


manejo alternativo, drosofilídeos, morango, fruto artificial.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.