Eficiência do óleo essencial de Mentha arvensis (Lamiaceae) no controle de Chaetosiphon fragaefolii (Hemiptera: Aphididae)

Lucas Kussek Aguiar, Leticia Tamara Maleski, Bruna Caroline Durau, Michele Trombin de Souza, Mireli Trombin de Souza, Maria Aparecida Cassilha Zawadneak

Resumo


Chaetosiphon fragaefolii (Cockerell) (Hemiptera: Aphididae) é uma das pragas-chave do morangueiro. O seu controle é baseado no uso de inseticidas sintéticos de alto impacto ambiental tais como neonicotinoide, pirazol, piretroide e por um inseticida botânico a base de azadiractina. Visando diminuir o uso de compostos sintéticos, a utilização de óleos essenciais (OEs) vem de encontro às propostas de manejo integrado de pragas como um método seguro ao ambiente e ao consumo humano. Nesse sentido, objetivou-se investigar se a aplicação do OE de Mentha arvensis (Lamiaceae) é eficiente para controlar C. fragaefolii. A partir da análise feita por CG/MS e CG/DIC, os compostos majoritários de M. arvensis foram acetato de metila, limoneno e mentol. Soluções (1 mL) de OE de M. arvensis foram pulverizadas sobre folíolos de morangueiro ‘Aromas’, acondicionados em frascos com água para manter turgidez. As concentrações usadas foram de: 0,25; 0,5; 0,75; 1; 2; 3; e 4%. Como controle positivo e negativo foram empregados Openeem Plus® (300 mL.L-1) e Tween® 20 (3%), respectivamente. Os tratamentos foram mantidos em condições de laboratório (25 ± 2ºC, U.R. 70 ± 10%, fotofase de 14 h) e a mortalidade dos afídeos foi avaliada por 168 h. O delineamento foi inteiramente casualizado, com sete tratamentos e cinco repetições, sendo a unidade experimental constituída por um folíolo contendo 10 ninfas de 48 h de C. fragaefolii. A mortalidade de C. fragaefolii em 24 h foi superior nas concentrações de 2% a 4% de OE. Entretanto, a partir de 48 h também a concentração de 1% do OE apresentou eficiência no controle dos afídeos. Após 168 h da aplicação do OE houve mortalidade de 50 a 82% nas concentrações de 0,25 a 0,75%, respectivamente, diferindo-se dos controles (F = 1,6845; p <0,0001) que apresentaram mortalidade de 20%. Para 1 a 4% de OE, a totalidade dos insetos mortos foi de 92 a 98%. Conclui-se que, o OE de M. arvensis a 1% tem potencial inseticida contra C. fragaefolii.

Palavras-chave


Fragaria × ananassa, pulgão-verde-do-morangueiro, acetato de metila, limoneno, mentol.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.