Uso de óleos essenciais no controle de fungos de grãos armazenados

Rubens Candido Zimmermann, Jason Lee Furuie, Andressa Katiski da Costa Stuart, Hemilia Karine Slompo de Oliveira, Maria Aparecida Cassilha Zawadneak, Ida Chapaval Pimentel

Resumo


Durante o período de colheita e armazenagem, grãos ficam sujeitos à contaminação por fungos capazes de produzir metabólitos secundários tóxicos, que persistem em alimentos e rações. Os fungos toxigênicos responsáveis pela produção de micotoxinas pertencem basicamente aos gêneros Aspergillus, Penicillium e Fusarium. Objetivou-se avaliar a ação de óleos essenciais (OE) (Farmanilquima®) de Melaleuca alternifolia, Salvia officinalis, Lavanda angustifolia, Geranium sp., Cananga odorata e Mentha arvensis no controle in vitro de fungos dos 3 gêneros supracitados. O bioensaio I testou a ação fungicida dos OE puros por volatilização, em delineamento inteiramente casualizado. Os fungos foram inseridos individualmente em forma de plug (8mm) em placas de Petri (9cm Ø) contendo ágar Sabouraud. A seguir, 10 µL de cada OE foi aplicado em papel filtro na parte superior da placa. As placas foram mantidas em BOD (28ºC) por 7 dias para avaliação do crescimento micelial. O OE de M. arvensis foi o que apresentou maior índice de inibição para os 3 gêneros (43,03% para Aspergillus; 42,08% para Penicillium e 75,55% para Fusarium. No bioensaio II foi testada a ação fungicida apenas do OE de M. arvensis diluído em acetona nas concentrações de 2,5%, 5% e 10%. A metodologia de aplicação e avaliação foi idêntica ao bioensaio I, resultando em porcentagem de inibição máxima de 31,80% em Aspergillus e de 54,76% em Penicillium na maior concentração do OE. O bioensaio III testou a ação fungicida dos OE por contato direto. Os tratamentos foram os OE diluídos a 1% em ágar Sabouraud, com os fungos inseridos na forma de plug (8 mm). Foi encontrado 100% de inibição de crescimento em Penicillium com o OE de Geranium sp.; em Aspergillus com OE de Geranium sp. e M. arvensis e em Fusarium com OE de C. odorata, M. arvensis, Geranium sp. e L. angustifolia. Sendo assim, conclui-se que a utilização de OE em contato direto foi o que gerou melhores resultados de inibição in vitro dos fungos de grãos armazenados.

Palavras-chave


Aspergillus, Penicillium, Fusarium, inibição de crescimento.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.