Atividade inseticida de resinas a Spodoptera frugiperda (J.E. Smith, 1797) (Lepidoptera: Noctuidae)

Cíntia de Melo Gomes, Daniel Dalvan do Nascimento, Caio Cesar Truzi, Natalia Fernanda Vieira, Joice Mendonça de Souza, Sergio Antonio de Bortoli

Resumo


A lagarta do cartucho, Spodoptera frugiperda (J.E. Smith) (Lep.: Noctuidae), é praga-chave na cultura do milho e, como é uma espécie polífaga, pode atacar mais de sessenta espécies. Os métodos de controle mais comuns para S. frugiperda são o químico e o genético, através da utilização de plantas transgênicas capazes de manifestar toxinas à lepidópteros-praga, porém esses métodos não estão apresentando elevada eficiência devido a seleção de populações resistentes. Nesse sentido, o objetivo do trabalho foi investigar a toxicidade de resinas botânicas, como o óleo de copaíba, Copaifera langsdorffii, das resinas de Pinus elliottii, de Pinus caribaea e da associação P. elliottii e P. caribaea, para lagartas de S. frugiperda. Para formação das soluções estoques, as resinas foram diluídas a 10% em etanol. Foram utilizados dez tratamentos, sendo duas testemunhas (água destilada e etanol 10%), e soluções a 30% e 50% preparadas com as soluções estoques das resinas de P. elliottii, de P. caribaea, da associação de P. elliottii e P. caribaea, além de óleo de copaíba. Cubos de dieta artificial foram embebidos nas soluções e, após a secagem em temperatura ambiente, foram dispostos juntamente com lagartas de segundo ínstar em placas de Petri de 6 cm de diâmetro (uma por placa), sendo 10 lagartas por tratamento em delineamento inteiramente casualizado. O experimento foi realizado em condições controladas de temperatura (25±1 ºC), umidade relativa (70±10%) e fotoperíodo (12 h de luz: 12 h de escuro). A mortalidade foi avaliada a cada 24 horas e por oito dias. O óleo de copaíba na maior concentração provocou 90,0% de mortalidade, a solução a 50% das resinas combinadas resultou em 88,6% e a de 30% em 78,6% de mortalidade, enquanto a solução de P. caribaea na maior concentração apresentou ação inseticida, matando 81,4% das lagartas, seguida pelo óleo de copaíba a 30%, com 62,9%. As resinas botânicas apresentam atividade inseticida e podem ser uma alternativa no Manejo Integrado de S. frugiperda.


Palavras-chave


lagarta-do-cartucho, resinas florestais, óleo de copaíba, controle alternativo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.