Interferência e nível de dano econômico de Conyza spp. em cultivar de soja Monsoy 6210 IPRO

Juliano Bortoluzzi Lorenzetti, Leandro Paiola Albrecht, Alfredo Junior Paiola Albrecht, Maikon Tiago Yamada Danilussi, Caroline Santana Marchi, Arthur Arrobas Martins Barroso

Resumo


A resistência adquirida a herbicidas em plantas daninhas dificultou e aumentou o custo de controle, além de proporcionar redução da produtividade da soja. Teve por objetivo verificar a redução da produtividade da soja sob interferência de densidades populacionais de buva e estimar o nível de dano econômico (NDE). Conduziram-se dois ensaios durante as safras de 2016/17 e 2017/18 em áreas comerciais semeadas com cultivar de soja Monsoy 6210. Conduziram-se os experimentos em delineamento inteiramente casualizado, com oito tratamentos (0, 1, 2, 3, 4, 6, 8 e 10 plantas de buva m-2) estabelecidos 15 dias antes da semeadura da soja, com quatro repetições. Ajustou-se a perda de produtividade utilizando-se de regressão não-linear em função da equação da hipérbole não retangular e, em seguida, estimou-se o nível de dano econômico. Determinou-se a perda de produtividade por planta daninha em 12,54% e 13,72% em 2016/17 e 2017/18, respectivamente. Estimaram-se os valores de NDE em 0,19 a 0,62 plantas m-2 de buva e de 0,16 a 0,51 plantas m-2 para a safra 2016/17 e 2017/18, respectivamente. Em ambas as safras os valores de NDE que, referem-se a presença de plantas daninhas por área que viabilizem seu controle, permaneceram baixos. Esse comportamento é resultado da alta produtividade atingida pela cultivar, associada a alta redução de produtividade, ao valor pago ao produto e relativo baixo custo de controle.

Palavras-chave


buva, interferência, matocompetição, Glycine max, fleabane, produtividade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.