Influência dos horários de aplicação de fungicidas no controle da ferrugem asiática da soja

Leonardo Estefanoski, Gislaine Martins Slusarz, Elizandro Fochesatto, Anderson Luiz Durante Danelli

Resumo


A ferrugem asiática é a principal doença da cultura da soja, podendo comprometer até 90% do rendimento. O objetivo do trabalho foi testar o efeito do horário de aplicação de fungicidas no controle da doença em diferentes cultivares de soja. O trabalho foi realizado na fazenda experimental do Centro Universitário Vale do Iguaçu, União da Vitória - PR, na safra 2018/2019. O delineamento experimental foi em blocos casualizados, dispostos em parcelas subdivididas, com quatro repetições por tratamento. Os fatores foram cultivares, na parcela principal, e horário de aplicação nas subparcelas (testemunha, 8, 11, 14 e 17 horas). A semeadura foi realizada no dia 07/12, com espaçamento de 45 cm ente linhas. As aplicações do fungicida a base de azoxistrobina + benzovindiflupyr foram de 300 g ha-1 do produto comercial, juntamente com o óleo na dosagem de 500 mL ha-1 de acordo com os tratamentos (hora de aplicação). As aplicações foram realizadas em 24/01, 09/02, 02/03 e 16/03, iniciando as aplicações no estádio fenológico de V8 e R1 com pulverizador de CO2 com pontas ST/D 0,25, leque duplo e vazão de 180 L ha-1. A avaliação da incidência e número de urédias cm-² foi realizada em 11/03 com 50 folíolos. Os dados foram submetidos à análise de variância, e quando significativas, as médias foram comparadas pelo teste de Tukey a 5% de probabilidade. Para a variável incidência e número de urédias cm-2, não houve interação significativa, somente diferença entre as cultivares e horário de aplicação. Em relação ao horário de aplicação a testemunha apresentou maior incidência (85%). Entre as cultivares, BMX Ativa RR obteve incidência 79,6%, NA 5909 RG 72,7% e BMX Potência RR 69,1%. Para o número médio de urédias cm-² a testemunha apresentou 10 urédias cm-2 em relação aos horários de aplicação que foi de 6 urédias cm-1. Entre as cultivares, a BMX Ativa RR obteve 9,65, BMX Potência RR 5,99 e NA 5909 RG 5,24 urédias cm-². Percebe-se que o horário de aplicação não interferiu na incidência e no número de urédias cm-1.


Palavras-chave


Phakopsora pachyrhizi, urédias, incidência, cultivares.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.