Diferença na atividade de voo de machos e fêmeas de Cotesia flavipes em diferentes temperaturas

Flávia Fagundes de Paula, Dagmara Gomes Ramalho, Sandy Sousa Fonseca, Sergio Antonio De Bortoli

Resumo


No Brasil, o parasitoide Cotesia flavipes Cameron, 1891 (Hymenoptera: Braconidae) é o principal agente de controle de Diatraea saccharalis (Fabricius, 1794) (Lepidoptera: Crambidae) em cana-de-açúcar, sendo o controle de qualidade do parasitoide ponto chave de seu sucesso. O comportamento de busca do parasitoide e a temperatura podem influenciar significativamente a eficiência de parasitismo. Nesse sentido, o objetivo do trabalho foi avaliar a atividade de voo de machos e fêmeas de C. flavipes em duas temperaturas, 25 ± 1 °C e 30 ± 1 °C. Os testes foram conduzidos em laboratório utilizando fotoperíodo de 12h de luz/12h de escuro e umidade relativa de 70% ± 10%. Os testes para a determinação das porcentagens de insetos voadores, não voadores e caminhadores, foram realizados empregando-se a metodologia adaptada de Trevisan (2014). As gaiolas de teste, constituídas por tubos de PVC de 20 cm de altura por 10 cm de diâmetro, foram forradas com cartolina preta, sendo pincelada uma faixa de cola ao meio da cartolina, bem como na cobertura da mesma (uma placa de vidro). Foram liberados 50 adultos por gaiola, perfazendo-se 20 repetições para cada temperatura e sexo. Decorridos 5 horas da liberação foram contabilizados os insetos existentes no fundo, nos anéis de cola e na tampa das gaiolas, considerando os insetos existentes abaixo dos anéis de cola como não voadores, presos no anel como caminhadores e aderidos na tampa como voadores. Para machos na temperatura de 25 ºC as porcentagens de não voadores e voadores foram semelhantes (42% e 46%), sendo menor para caminhadores (12%); a 30 ºC não voadores e voadores também foram semelhantes (38% e 40%) e caminhadores 22%. Para fêmeas a 25 ºC foi encontrado diferença entre insetos não voadores (66%) e voadores e caminhadores (20% e 14%). Na temperatura de 30 °C as fêmeas não voadoras e caminhadoras foram percentualmente semelhantes (46% e 36%), com 18% de voadoras. Esses resultados indicam que, no geral, tanto a 25 °C como a 30 °C o menor número de machos é de caminhadores, enquanto que de fêmeas é de voadoras.


Palavras-chave


cana-de-açúcar, controle de qualidade, controle biológico, parasitoide.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.