Toxicidade de quimiotipos dos óleos essenciais de Cymbopogon citratus (Poaceae) sobre adultos de Zaprionus indianus (Diptera: Drosophilidae)

Michele Trombin de Souza, Bruna Caroline Durau, Leticia Tamara Maleski, Mireli Trombin de Souza, Lucas Kussek Aguiar, Maria Aparecida Cassilha Zawadneak

Resumo


A mosca-do-figo Zaprionus indianus Gupta (Diptera: Drosophilidae) é uma das principais pragas em figueiras. Os danos são causados pela oviposição das fêmeas na região ostiolar e pela alimentação das larvas no interior dos frutos. Apesar do impacto econômico deste inseto, existe apenas um produto fitossanitário a base de neonicotinoide registrado para seu controle na cultura, tornando assim necessária a prospecção de novas moléculas como possíveis estratégias de manejo. Assim, objetivamos avaliar a toxicidade de dois quimiotipos, citral e mirceno, dos óleos essenciais (OEs) de Cymbopognon citratus (Poaceae) sobre adultos de Z. indianus. Para isso, os OEs foram solubilizados em acetona nas concentrações de 0,25; 0,50; 0,75; 1,00; 2,00; 3,00; e 4,00%, e aplicados via ingestão e tópica. Como controle positivo foi utilizado Azamax® (300 mL.L-1) e negativos água ou acetona. No bioensaio de ingestão, os tratamentos foram oferecidos em frascos (10 mL) por meio de capilaridade em rolete de algodão hidrófilo por 8 h; enquanto que na aplicação tópica, alíquotas (2 mL) foram aplicadas com pulverizador manual no dorso das moscas. O delineamento foi inteiramente casualizado com cinco repetições por tratamento, sendo cada repetição constituída por 20 insetos. Constatou-se que por ingestão o quimiotipo citral apresentou toxicidade superior (F = 16,87; df = 16, P<0,0001) ao quimiotipo mirceno e ao Azamax®. Verificou-se também que o quimiotipo citral proporcionou mortalidade superior a 90% a partir de 2,00%. Por outro lado, na aplicação tópica em Z. indianus, o quimiotipo citral ocasionou mortalidade superior a 90% a partir de 1,00% de OE. Essa redução de OE, pelo método supracitado, também foi observada para o quimiotipo mirceno que exibiu mortalidade superior a 90% em 2,00% de OE. Portanto, os quimiotipos citral e mirceno dos OEs de C. citratus demonstram ser uma estratégia promissora para o manejo de adultos de Z. indianus via aplicação tópica.


Palavras-chave


mosca-do-figo, capim-limão, citral, mirceno, bioinseticidas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.