Interação e estabilidade de caldas de inseticidas e fungicida na cultura do amendoim

Ana Beatriz Dilena Spadoni, Fabiano Griesang, Cícero Antônio Mariano dos Santos, Bruno Oliveira Liberato, Marcelo da Costa Ferreira

Resumo


O Estado de São Paulo contribui com aproximadamente 90% da produção nacional de amendoim, principalmente devido à tradicional rotação com a cultura da cana-de-açúcar. Na safra 2017/18, ocupou cerca de 125,7 mil hectares da área agricultável do estado. Programas de manejo da cultura são fundamentais para a manutenção da produtividade, demandando mais de uma aplicação. A técnica de mistura de tanque para muitos agricultores implica na redução no número de aplicações e consequente economia. Objetivou-se avaliar as interações físico-químicas de caldas fitossanitárias obtidas com a mistura de inseticida, fungicida e adjuvante utilizados no manejo da cultura do amendoim. As caldas foram preparadas com volume de calda de 150 Lha-1, sendo: tiametoxam + lambda-cialotrina (TL – 150 mL ha-1), tiametoxam + lambda-cialotrina + carboxamide + estrobilurina (TL+CE – 250 mL ha-1), tiametoxam + lambda-cialotrina + carboxamide + estrobilurina + lecitina + ácido propiônico (TL+CE+LA-0,50% v/v) e tiametoxam + lambda-cialotrina + carboxamida + estrobilurina + óleo mineral (TL+CE+OM-0,50% v/v). Realizou-se a leitura e analisou-se a distribuição do tamanho das partículas dispersas na calda no intervalo de 50 minutos, sendo 1 leitura a cada 5 minutos, totalizando 10 leituras por calda, pelo medidor de partículas MasterSize 300. O TL apresentou partículas de menor diâmetro e distribuição mais homogênea em relação ao DV90 (em que 90% das partículas, são maiores). O TL+CE, apresentou um aumento inicial de tamanho de partículas, ocorrendo uma mudança no perfil de distribuição de DV90. O TL+CE+LA, a adição do LA melhorou o sistema do perfil de distribuição do DV90, com partículas menores e mais uniformes. A adição do OM aumentou drasticamente o tamanho de partículas tendo uma piora no perfil de distribuição. Conclui-se que os picos e aumento de partículas dispersas ocorrem possivelmente devido a alguma desestabilização da calda com o fenômeno de coalescência, estando partículas aderindo umas às outras.


Palavras-chave


amendoinzeiro, interações partícula-partícula, mistura em tanque.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.