Ação do herbicida atrazine sobre o período de repouso do predador Doru luteipes

Vinícius de Paula da Silva Barros, José Mendes dos Santos Junior, Claubert Wagner Guimarães de Menezes, Eliane Souza Gomes Brito

Resumo


Doru luteipes (Scudder) (Dermaptera: Forficulidae) é um importante inimigo natural da lagarta do cartucho Spodoptera frugiperda (J.E. Smith) (Lepidoptera: Noctuidae), tendo em vista seu excelente comportamento predatório e defensivo. O emprego do herbicida atrazine no controle de plantas infestantes pode prejudicar os organismos não-alvo quanto ao seu comportamento. O objetivo do presente trabalho foi estudar a influência de atrazine sobre o tempo de repouso de D. luteipes. Indivíduos de D. luteipes coletados em áreas de plantio de milho foram criados em tubos de PVC contendo cartuchos da planta. Ninfas individualizadas em copinhos plásticos contendo algodão umedecido e dieta artificial ad libitum foram monitoradas quanto a idade e a mudança de instar objetivando-se conduzir o experimento com insetos padronizados. Cerca de 48 horas após a mudança para o quarto instar, as ninfas de D. luteipes foram encaminhadas ao ensaio de biotoxicidade. No ensaio utilizou-se o herbicida Atrazina Atanor SC50 sob taxa de aplicação de 300 L ha-1, com os seguintes tratamentos: água (testemunha), e a dose comercial nas diluições ¼ (T2), ½ (T3), 1x (T4), 2x (T5), 4x (T6) e 8x (T7). Após o bioensaio, os insetos foram individualmente filmados por 10 minutos em arena constituída de placa de petri com superfície totalmente branca e área conhecida. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado. Para cada tratamento, selecionou-se seis indivíduos, os quais constituíram cada repetição. Através dos vídeos produzidos mediu-se a duração do repouso dos insetos durante o percurso. Submeteu-se os dados à análise de variância estatística (ANOVA) e teste de Tukey a 5%. Não houve diferença significativa (p>0.05) entre os tratamentos. A testemunha e o tratamento constituído pela menor dose expressaram as menores médias de tempo de repouso (31,3 e 38,9 segundos, respectivamente), enquanto que o tratamento T4 apresentou a maior média (141,1 segundos). Percebeu-se que a variação causada por atrazine sobre o tempo de repouso não obedece a uma tendência progressiva na medida em que se aumenta as doses.

Palavras-chave


comportamento, seletividade, tesourinha do milho.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.