Modelos de pontas e direção dos jatos de pulverização sobre a cobertura de caldas fúngicas na cultura da soja

Bruno Oliveira Liberato, Cicero Antonio Mariano Santos, Fabiano Griesang, Ana Beatriz Dilena Spadoni, Marcelo da Costa Ferreira

Resumo


A soja é a maior commodity agrícola brasileira, sendo cultivada em 35,100 milhões de hectares com produção de 116,996 milhões de toneladas na safra de 2018. Para obter bons índices de produtividade, é indispensável manter a sanidade da cultura, uma vez que doenças como a ferrugem asiática da soja (Phakopsora pachyrhizi Sydow) tem alto potencial de comprometer a produção. Essa doença, quando presente no cultivo, pode ocorre por todo o comprimento da planta, durante o desenvolvimento da cultura, porém tendo início infeccioso no teço inferior. Deste modo é imprescindível uma cobertura da cultura pela calda fungicida por todo o dossel, visando obter maior eficácia no controle da doença. A cobertura, pode ser influenciada por fatores operacionais, dentre os quais está a angulação do jato de gotas lançado sobre as plantas. Assim, objetivou-se avaliar a cobertura proporcionada por pontas de pulverização de energia hidráulica em angulações específicas em relação ao plano vertical na cultura da soja. As pontas utilizadas foram a Hypro 3D10003 e TT11003. As angulações das pontas 3D10003 utilizadas no experimento foram de 45° para frente, 45° para trás e intercaladas 45° para frente e para trás e a ponta TT11003 direcionada para baixo (inclinação 0°), espaçamento utilizado para ambas as pontas foi de 50 cm entre si. A velocidade de deslocamento do pulverizador foi de 12 km h-1 e a pressão de trabalho de 3,1 bar, resultando no volume de aplicação de 120 L ha-1. A determinação da cobertura foi feita por meio de papéis hidrossensiveis posicionados no terço inferior, médio e superior das plantas de soja. Após a aplicação, a cobertura das gotas sobre os papéis hidrossensiveis foi quantificada pelo software Siscob®. O delineamento utilizado foi blocos casualizados com quatros repetições, os tratamentos foram dispostos em um esquema fatorial 4x3 sendo o primeiro fator as três angulações da ponta 3D10003 mais a ponta TT11003 e o segundo fator os terços inferior, médio e superior da cultura. As pontas Hypro 3D10003 nas suas diferentes angulações e a TT11003 não diferiram entre si com relação a cobertura nos diferentes terços.  No entanto o terço superior apresentou maior cobertura diferenciando dos demais terços.

Palavras-chave


direção do jato, cobertura, tecnologia de aplicação.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.