Eficiência de Isaria fumosorosea e Azadirachta indica no controle de Tenebrio molitor

Lizandra Maria Maciel Siqueira, Rafhael Gomes de Souza, Evellyn Garcia Brito, Alex Felix Dias, Ana Paula Magno do Amaral, Telma Fátima Vieira Batista

Resumo


Em busca de produtos que sejam uma alternativa ao controle químico, têm-se utilizado fungos entomopatogênicos. Frequentemente, empregam o inseto-praga Tenebrio molitor para testes em laboratório com produtos microbiológicos. Neste caso, aplicando concentrados de Isaria fumosorosea e óleo de Azadiractha indica.  Objetivou-se ensaiar métodos de controle biológico em diferentes concentrações. Foram separados em três tratamentos com quatro repetições cada além da testemunha e acondicionados em placas de Petri pequenas contendo 10 larvas de T. molitor de 3º instar em cada placa. Os tratamentos foram: T1 = água destilada, T2 = 25% óleo de nim + 75% I. fumosorosea (108 conídios mL-1), T3= 50% óleo + 50% I. fumosorosea e T4 = 75% óleo + 25% I. fumosorosea. As larvas foram alimentadas com chuchu durante todo o ensaio, e trocados a cada dois dias. As avaliações foram realizadas até o décimo dia após a aplicação. Os insetos mortos foram colocados em câmara úmida para a confirmação da morte pelo patógeno. O T2 foi mais eficiente no controle dos insetos com 75% de mortalidade, porém com baixo índice de esporulação. Podendo essa baixa esporulação estar associada com uma ação antagônica do óleo de nim, ao qual é comprovado que A. indica reduz o crescimento de colônias de alguns fungos entomopatogênicos. Conclui-se que o óleo de nim pode afetar o crescimento e a esporulação de I. fumosorosea, exigindo mais estudos de associação entre óleos essenciais e fungos entomopatogênicos.


Palavras-chave


nim, controle biológico, grãos armazenados.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.