Efeito do óleo essencial de Corymbia citriodora (Myrtaceae) contra Chaetosiphon fragaefolii (Hemiptera: Aphididae) em morangueiro

Letícia Tamara Maleski, Renata Ferreira Bandeira, Michele Trombin de Souza, Mireli Trombin de Souza, Bruna Caroline Durau, Maria Aparecida Cassilha Zawadneak

Resumo


O pulgão-verde Chaetosiphon fragaefolii (Hemiptera: Aphididae) tem ocasionados prejuízos decorrentes da sucção de seiva que reduz o desenvolvimento do morangueiro e, consequentemente, da sua produção. O controle é baseado no uso de inseticidas químicos de alto impacto ambiental como neonicotinóide, pirazol, piretroide e um inseticida botânico a base de azadiractina. A busca de alternativas no controle dessa praga tem motivado o desenvolvimento de pesquisas envolvendo os óleos essenciais (OEs), com resultados promissores. Assim, objetivamos avaliar o efeito do OE de Corymbia citriodora (Myrtaceae) sobre a mortalidade de C. fragaefolii. Alíquotas (1 mL) do OE de C. citriodora foram pulverizadas sobre folíolos de morangueiro ‘Aromas’, acondicionados em frascos com água para manter turgidez. As concentrações usadas foram: 0,25; 0,5; 0,75; 1; 2; 3; e 4%. Como controle positivo e negativo foram empregados Openeem Plus® (300 mLL-1) e Tween® 20 (3%), respectivamente. Os tratamentos foram mantidos em condições laboratoriais (25±2 ºC, UR 70±10%, fotofase de 14 h) e a mortalidade dos afídeos foi avaliada por 168 h. O delineamento foi inteiramente casualizado, com 7 tratamentos e 5 repetições, sendo a unidade experimental constituída por um folíolo contendo 10 ninfas de 48 h de C. fragaefolii. A mortalidade de C. fragaefolii em 24 h foi superior nas concentrações de 2% a 4% do OE. Entretanto, a partir de 48h também a concentração de 1% do OE apresentou eficiência no controle dos afídeos. Após 168 h da aplicação do OE houve mortalidade de 84 a 96% nas concentrações de 0,75 a 4,0%, respetivamente, diferindo-se dos controles (F = 1,7619; p < 0,0001) que apresentaram mortalidade de ≅ 16%. Para 1 a 4% de OE, a totalidade dos insetos mortos foi de 80 a 96%. Para as condições testadas, o OE de C. citriodora se mostrou uma estratégia promissora para o controle de C. fragaefolii no morangueiro, podendo contribuir na redução dos riscos de contaminação ao meio ambiente e ao homem.

Palavras-chave


Fragaria × ananassa, pulgão-verde, eucalipto citriodora, bioinseticidas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.