Associação de fungicidas e protetivo visando o controle de antracnose na cultura do feijoeiro

João Vitor Rodrigues dos Santos, Felipe Ritter, Giacomo Lovera, Jean Victor Meira da Silva, Mateus Felipe Pugens, Márcia de Holanda Nozaki

Resumo


A cultura do feijoeiro é muito importante na produção agrícola, pois além da relevância econômica é um alimento básico para os brasileiros. Há diversos desafios em sua produção relacionados às variações climáticas e na condução da cultura, uma vez que é altamente suscetível ao ataque de pragas e, principalmente, de doenças. Objetivou-se avaliar o melhor manejo no controle da antracnose no feijoeiro com a associação de fungicidas a protetivos multissítio. O estudo foi conduzido no campo experimental da PUCPR - Campus Toledo, com altitude de 575 m. A semeadura foi realizada em 27 de fevereiro de 2019, com adubação de 372 kg ha-1 do formulado 10-15-15 na semeadura. A cultivar implantada foi a IPR Tuiuiú, com espaçamento de 45 cm entre linhas e população de 232.000 plantas por hectare. O delineamento inteiramente casualizado, foi composto por cinco tratamentos e quatro repetições em parcelas de 16 m2 cada. Os tratamentos foram a testemunha, sem aplicação de fungicida e os demais com variação do protetivo nas três aplicações, desde a ausência até a associação em todas. Os fungicidas foram trifloxistrobina e protioconazol, tiofanato-metílico e trifloxistrobina e tebuconazol nas doses de 0,5 L ha-1, 70 g ha-1 e 0,75 L ha-1, respectivamente. O protetivo utilizado foi mancozebe na dose de 3 kg ha-1. Avaliou-se em área útil de 5,4 m2 a incidência e severidade da doença, diâmetro de colmo, altura de planta, número de vagens, grãos por vagem e peso de mil sementes. A associação do protetivo reduziu a incidência da doença, mas a maior diferença se apresentou na diminuição drástica da severidade da doença, caindo de 11 para 2%. Além da diminuição na severidade da doença houve aumento do número de grãos por vagem e, principalmente, no peso de mil sementes que apresentou um incremento de aproximadamente 80%, uma vez que não ocorreu senescência antes da maturidade. Conclui-se que a associação de protetivos aos fungicidas é viável, eficiente e boa alternativa para o controle da antracnose na cultura do feijão.


Palavras-chave


Colletotrichum lindemuthianum, multissítio, fungicida, sanidade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.