Hormesis: efeito de subdoses nas aplicações fitossanitárias

Edivaldo Domingues Velini

Resumo


Os efeitos horméticos ocorrem quando há um comportamento bifásico da curva dose-resposta, com dois tipos de resposta biológica quando um organismo é exposto a diferentes doses de um agente de estresse, sendo uma estimulatória e outra inibitória. Embora esse fenômeno tenha sido reconhecido anteriormente, o termo hormesis foi criado em 1943, por Southam e Ehrlich, com base na palavra grega “hormo”, que significa “excitar”, e seguindo o conceito de “all things are poison and are not poison; only the dose makes a thing not a poison” (Paracelsus, 1493-1541). Neste trabalho em que o termo hormesis foi utilizado pela primeira vez, foi observado o aumento da taxa de crescimento de diversas espécies de fungos após serem expostas a soluções muito diluídas de extrato de cedro vermelho, e ao longo do tempo o crescimento apresentou a tendência de se normalizar. O padrão bifásico de resposta a doses de agentes de estresse, característico dos efeitos horméticos, já foi observada em essencialmente todos os organismos estudados, incluindo procariotas, fungos, plantas, invertebrados e mamíferos, incluindo os seres humanos (CALABRESE et al., 2007). Considera-se que a magnitude das respostas estimulantes observadas em todos os campos da ciência e para os diferentes compostos tóxicos e organismos, varia em média entre 30 e 60% acima da testemunha. Calabrese e Baldwin (2003) encontraram mais de 9000 exemplos de hormesis promovidas por pesticidas, medicamentos ou tratamentos de radiação, sendo todos os resultados dependentes da dose utilizada de cada substância, entretanto, a detecção correta e a estimação deste efeito dependem da aplicação de modelos estatísticos adequados. O uso de técnicas adequadas para analisar estatisticamente os dados pode ser fundamental para que efeitos horméticos possam ser identificados e caracterizados. Hormesis tem sido encontrado em todos os grupos de organismos e um vasto conjunto de compostos ou agentes de estresse, incluindo os herbicidas. Embora as aplicações dos produtos agrícolas sejam descritas por volume ou por peso, de ingrediente ativo de um produto comercial aplicado a um acre ou hectare, muitas espécies de plantas, insetos ou micróbios podem completar seu ciclo de vida em ambientes de poucos cm² ou mm². No campo, e em uma escala tão pequena, as doses dos pesticidas não são uniformes, fazendo com que alguns organismos alvo sobrevivam, porque não receberam pesticidas suficiente. Nessas condições, doses sub letais de defensivos agrícolas podem atingir os organismos, levando ao controle deficiente, podendo contribuir na seleção de biótipos resistentes e promover o efeito hormesis, visto que alguns organismos recebem apenas uma pequena fração da dose média aplicada.

Texto completo:

PDF

Referências


CALABRESE, E.J.; BALDWIN, L.A. Hormesis: the dose- response revolution. Annu. Rev. Pharmacol. Toxicol., 43:175-197, 2003.

CALABRESE, E.J. et al. Biological stress response terminology: Integrating the concepts of adaptive response and preconditioning stress within a hormetic dose-response framework. Toxicol. Appl. Pharm., 222:122-128, 2007.

SOUTHAM, C.M.; EHRLICH. J. Effects of extracts of western red cedar heartwood on certain wood-decaying fungi in culture. Phytopathology, 33:517-524, 1943.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.